Nota:

Minha foto
Menino besta cheio de sonhos aprisonado no corpo de um homem sóbrio e cheio de desejos.

Escolha a dose.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Meninos mortos

Corri tanto para alcançar o futuro que as crianças que moravam em mim não acompanharam meus passos. Aos poucos, fui matando meninos que viviam no meu peito e junto com eles tantas alegrias e boas lembranças.
Morreu um menino que desenhava heróis imaginários, que escondido, pulava de pé na cama dos pais. Sumiu, não sei pra onde, um outro garoto moleque que não tinha o menor receio de sujar-se de lama nas poças d'água cheias de restos de chuva.
Lembro de um outro, um tanto inocente demais, que deitava-se no chão do quintal e perdia horas apenas olhando as nuvens. Acho que nessas horas, ele ganhou muito mais do que hoje, posso imaginar ainda ganhar.
Havia meninos que sofriam muito também, havia o que não sabia jogar futebol, o que levava surras injustas, o que não podia sujar as roupas mesmo em festas infantis, o que invejava os garotos mais velhos, o que não tinha dinheiro.
Alguns desses meninos tiveram morte súbita. O que acreditava em Papai Noel e no Coelho da Páscoa morreu da noite para o dia assassinado pela realidade, assim como o que desconhecia o sexo, morreu fulminado na hora da primeira ereção.
Outros simplesmente descansaram em mim. Lentamente foram me abandonando até partirem de vez pro passado.
Confesso não ter muitas saudades de alguns deles, mas outros no entanto me fazem muita falta, principalmente os que sorriam mais do que eu sorrio agora, que sonhavam mais, que tinham mais fé, mais amor e mais futuro pela frente.
Espero, que na minha velhice, eu reencontre todos eles e possamos, sem a menor responsabilidade, voltar a sorrir, a sonhar e a acreditar em tudo.
Até o dia em que, morreremos todos juntos de uma vez por todas.

   Foto: Marlon Rocha

10 comentários:

Ana disse...

Que coisa linda seu texto! Fiquei emocionada. Quanto a mim, apesar de muitas meninas terem ido embora, existem outras que ainda moram aqui. Temo - ou não - que elas permaneçam em mim até o fim. Bjs

Murijoe disse...

dizem que quando ficamos mais velhos, voltamos a ser criança né... se isso for verdade, essas crianças não morreram, apenas estão descansando um pouco pra brincar de novo.

David Sento-Sé disse...

Que revivam então todos os nossos meninos e meninas.

Aarão Prado disse...

Os meus meninos estão todos aqui, tentando encontrar o Homem que disseram que ia chegar com o tempo. Acho que tô com problemas!rssss
Lindo o texto! Quando eu crescer queria ser como você.kkkkk

Kate disse...

Eu conheço os seus meninos, eles estão aí, você não os vê porque fechou os olhos pra eles. As minhas meninas, essas me acompanham e de vez em quando fazem umas travessuras, eu deixo e fico feliz com isso. Experimente encontrá-los, talvez estejam um pouco maiores do que o que você imagina mas ainda sabem brincar e eu bem sei disso porque ainda brinco com eles. Beijo!

Kate disse...

Lembra daquela vez quando nós éramos crianças, e você me surpreendeu numa loja de brinquedos com um ursinho de pelúcia? Nossa primeira atitude foi levar pra casa e agasalhá-lo porque ele morria de frio e solidão naquela loja do shopping. Passamos boa parte daquele dia procurando um nome que parecesse com ele, aí o batizamos de "Seu Beijo". Quando saíamos ele ficava enrolado nos lençois para não se resfriar e ríamos muito imaginando a cara da camareira do hotel ao encontrar aquele ursinho reinando na nossa cama. Isso é encontrar nossas crianças interiores ... sem preconceitos.

David Sento-Sé disse...

lembro sim o Seu Beijo, é claro, ele estava ca mesinha ao lado da sua cama.

Victor Manfredine disse...

Não tem essa, de essa coisa ser essa coisa e aquela coisa ser aquela coisa.
No fim a gente vê e acaba juntando tudo numa coisa só, não é mesmo?

Adelaide Albuquerque disse...

Escritos lindos. Pura emoção! Parabéns.

mariah disse...

Emocionei-me, muito bom seu texto, mas me pareceu cheio desaudades!!
Ah eu também tenho as minhas meninas....E estao todas aqui comigo, tem uma que eu adoro, ela é timida,envergonhada, a outra é birrenta, doidinha, doidinha, tem uma que é danada, inteligente,e adora cantar..mas tem uma que me assusta, parece uma onça..braba!!!! Todas existem em mim, cada uma ao seu tempo...Ui..

Enhorabuena, querido! Você nos encanta com seus escritos!!!